O RECONHECIMENTO E O CONTENTAMENTO


Quanto mais elevada e corajosa a disposição de viver a vida, executando com amor e empenho as tarefas que ela traz todos os dias, haverá um transbordamento nos níveis emocional, espiritual e físico e um contentamento tomará conta do ser que passará a reconhecer a si mesmo com muito mais consciência do sentido da vida.
Do contrário, aquele que furta as tarefas da própria vida em razão do medo e acomodação e quer permanecer na zona de conforto, nega o dom sagrado das experiencias da vida e se torna um ser amargo e descontente, que só reclama de tudo e de todos e não reconhece nada, nem a si mesmo.
O reconhecimento e o contentamento são as molas propulsoras que levam o ser humano de volta para sua origem divina e abrem o caminho para o progresso e as conquistas.

DESPERTAR DA ALMA PROFUNDA


"Na vida e no amor, não temos garantias... Portanto não procure por elas... viva o que tem que ser vivido... Sem medos ... O medo é um dos piores inimigos do amor e da felicidade... Você vai descobrir mais cedo ou mais tarde que o tempo pra ser feliz é curto, e cada instante que vai embora não volta mais." (Arnaldo Jabor)

É tempo de caminhar pelas trevas e pelo desafiador labirinto dos sentimentos e das emoções. É hora de reconhecer e expressar os verdadeiros sentimentos, aquele que se sente com o coração. Emoções são as reações dos sentimentos. Sentimentos reprimidos crescem e adoecem, preenchem o interior de lama e bloqueiam o fluxo da energia vital. A repressão na infância, traumas e negações podem conduzir o ser humano a clausura interior impedindo a expansão dos próprios sentimentos e desejos. Aceitar e compreender a si mesmo é a melhor terapia para tirar a alma profunda do sufoco e vazio. Quanto mais aprender a aceitar e respeitar os seus sentimentos, mais seguro se tornará para expressá-los. Ser autêntico é ser verdadeiro consigo mesmo, se confidenciando sem medo de qualquer julgamento.